Em destaque

Como você sabe que terminou de escrever seu romance?

Quando você termina de escrever o primeiro rascunho de seu manuscrito, há uma grande chance de que ele NÃO está pronto. Na verdade, se você espera que seu livro será permanentemente uma perfeição, ele nunca estará “pronto”. Pense em você mesmo mais como um pai que inevitavelmente...

Leia mais

10 regras de S. Alex Martin para escrever ficção

Por bookess | Postado em Dicas | Em 05-02-2015

0

Blog Image

1. Use as palavras mais simples possíveis. Ou seja: menos é mais. Se o seu livro de ficção se passa em tempos atuais, deixe as palavras rebuscadas — e que você revirou seu dicionário para encontrar — para trás. Torne seu texto mais claro e inteligível até para os leitores mais inexperientes.

2. Não inclua eventos ou detalhes que não são importantes para a caracterização dos personagens ou para a história. Não fará diferença saber qual marca de bolsa a personagem usava, ou se ela colocava o carro na segunda ou terceira marcha para passar por uma lombada. Se não é relevante para a história, deixe de claro.

3. Use ações para explicar eventos quando possível. Realizar um monólogo de três páginas na mesma cena, no mesmo pensamento do mesmo personagem, para explicar uma história complicada pode ser tão chato para o autor, quanto par ao leitor. Por que não colocar um elemento mais interessante? Um momento de ação, onde as revelações são inesperadas, algo que deixe o leitor ainda mais intrigado e curioso?

4. Escreva pelo menos 90% de sua história em voz ativa. O uso da voz ativa em boa parte do texto torna a leitura do livro mais interessante e ainda mais fluída. Uma vez que a voz passiva muitas vezes dá a impressão de que o texto do livro é explicativo, a voz ativa vai direto ao ponto e parece mais pessoal, fazendo com que o leitor se familiarize ou tenha um contato maior com o livro.

5. Diálogos são a forma mais forte de caracterização dos personagens. Poucos leitores se apegam a um personagem pela aparência, ou, muitas vezes, ela passa batida pelos leitores. Leitores geralmente se apegam a um personagem por suas atitudes ou pelo modo como falam ou se expressam em algumas situações. Os diálogos são essenciais para caracterizá-los.

6. Tenha certeza de que algo muda ao final da história, preferencialmente o personagem principal. O mais interessante de uma história é ver como um personagem evolui do começo até o fim; se antes era um personagem bobo, covarde ou inseguro, após a história é normal que isso mude e ele se torne mais determinado, corajoso e mais seguro. Não apenas o personagem, mas também, o cenário e a história de todos ao redor dele devem mostrar evolução.

7. Se você não pode evitar um clichê, faça algo diferente com ele. Vai usar o triângulo amoroso? O herói que antes era um Zé Ninguém e depois é visto como o Escolhido para derrotar um vilão de um mundo que ele nem sequer imaginava que existia? Pode usar. Os clichês são o que fazem uma boa história, mas também, a originalidade. Faça questão de fazer algo diferente com o seu clichê.

8. Se você não consegue decidir se você gosta do que escreveu, reescreva. Você é o seu mais severo crítico e seu melhor leitor. Se acha que tem texto demais, ou que não atingiu o ponto emocional que gostaria em tal momento da história, ou que precisa ser melhorado, não pense duas vezes: reescreva. Apenas com a lapidação do texto você pode ir aprimorando a história e percebendo detalhes que precisavam ser incluídos ou excluídos.

9. Descubra que horas do dia é seu pico de imaginação e faça o possível para SEMPRE escrever nessa hora. Não tente forçar a sua criatividade ou sua produtividade. No seu trabalho isso pode funcionar de um modo muito bom, mas na escrita isso pode refletir de uma maneira muito ruim. Descubra quando você está mais criativo e empenhe-se para escrever nesse momento sempre que puder: se for antes de dormir, tenha um caderno de cabeceira; se for no banho, deixe um gravador preparado; se for no caminho para o trabalho, leve sempre um caderno ou tenha sempre um espaço no seu celular ou tablet para guardar todas as suas ideias. Esteja sempre preparado!

10. Mantenha uma rotina até você finalizar seu rascunho. A construção de uma rotina para um escritor é essencial. Trabalhe, es alimente, se exercite, estude e escreva. Tenha sempre um horário fixo na sua agenda pra que você pare tudo o que está fazendo e foque-se em escrever ou trabalhar em ideias novas para o seu livro. Uma vez que você se acostuma com a rotina, a inspiração virá até você automaticamente e você se sentirá mais criativo e produtivo para escrever.

S. Alex Martin é autor dos livros da série Recovery e também da série Get It Write Tonight, este último voltado para dicas para escritores. Seus livros ainda não foram traduzidos para o Brasil.

Post original do autor S. Alex Martin. Traduzido e adaptado pela Bookess.

Comentários protegidos.