Em destaque

Catarse: um site de financiamento coletivo para projetos criativos

Você conhece o site Catarse? Catarse é um site que possibilita o financiamento de projetos criativos de modo simples e prático! Como assim? Digamos que você tenha algum projeto criativo – um jogo, um livro, um CD a ser gravado – mas não tem o dinheiro necessário para cobrir as despesas, para...

Leia mais

Escritor, por quê?

Por bookess | Postado em Novidades | em 30-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , , ,

38

Em Como e porque sou romancista, José de Alencar tenta responder denotativamente a pergunta que tantas vezes se faz aos autores. A maioria dos escritores parece dar respostas metafóricas, poéticas, até românticas. Neste livro de seus livros, nosso arqui-romancista se pergunta se não teria sido a “leitura contínua e repetida de novelas e romances que primeiro [lhe] imprimiu no espírito” o desejo de ser escritor dessa forma literária de sua predileção.

Ora ou outra esbarro também na pergunta, embora eu seja um projeto de escritor. Escrevo meus versinhos, uns continhos curtos, agora crônicas e tenho cá uns esqueletos de romances. No meu blog/site, a indicação escritor é mais um desejo, uma pretensão e uma presunção que necessariamente uma verdade. Mas fico tentado a refletir sobre esta pergunta, feita nestes termos ou de forma parafrásica: Por que você escreve?

Veja o restante da matéria clicando abaixo.

Em livro, britânico cego e surdo conta suas aventuras

Por bookess | Postado em Novidades | em 30-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , ,

399

Aventuras de Tony Giles incluem voo de asa delta sobre a praia de São Conrado, no Rio de Janeiro, em 2004

Um britânico de 32 anos, deficiente visual e auditivo, com apenas 20% de audição em consequência de problemas genéticos, está lançando um livro no qual conta suas aventuras em viagens pelo mundo.

Tony Giles, que leva uma vida totalmente independente apesar das deficiências, já visitou mais de 50 países, muitos deles viajando sozinho com uma mochila nas costas.

Continue lendo no link abaixo.

Os 20 grandes filmes baseados em livros

Por bookess | Postado em Novidades | em 30-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

219

Segue abaixo a lista de 20 grandes adaptações de livros que foram diretamente para os cinemas, clicando no link.

Quais foram os livros mais vendidos no mundo

Por bookess | Postado em Novidades | em 29-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , ,

38

Estima-se que até hoje já tenham sido vendidos 11 milhões de exemplares da versão integral da Bíblia, 12 milhões de novos testamentos e 400 milhões de brochuras com fragmentos dos textos originais.

Depois dela, vem o Alcorão, livro sagrado do Islamismo, seguido do Livro Vermelho, do líder comunista chinês Mao-Tse-Tung.

O quarto lugar parece estar com o livro Scouting for Boys (Escotismo para Rapazes), escrito em 1908 por Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, militar inglês que deu origem ao Escotismo.

Fonte: http://www.ead.pt/blog/?p=338

Os pioneiros na impressão de livros

Por bookess | Postado em Novidades | em 29-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , ,

400

Mas o livro mais velho de que se tem conhecimento é uma cópia do Diamond Sutra, impresso em 11 de maio de 868 e encontrado nas grutas de Dunhuang, no Turquistão. Eram discursos do Buda para o seu discípulo Subhuti. Para o fazer, Wang Chieh usou letras entalhadas em blocos de madeira. O alquimista chinês Pi Cheng usou argila cozida para produzir os primeiros tipos móveis por volta de 1040. A vantagem é que, após a impressão, as letras podiam ser separadas e reutilizadas. 

Esse sistema foi aperfeiçoa do por volta de 1300 com o uso de madeira e serviu para a impressão de livros. Em 1438, o alemão Johannes Gensfleisch Gutenberg começou a fazer impressões com tipos de metal, fazendo moldes de cada letra do alfabeto. Uniu os tipos em palavras, frases, parágrafos e páginas. Depois de besuntar as letras com tinta, Gutenberg imprimiu-as em papel branco. Desse modo, ele imprimiu os primeiros livros na Europa. O seu livro mais famoso é a chamada Biblía de Gutenberg, impressa entre 1451 e 1456. Das 48 cópias que sobreviveram, 36 eram de papel e 12, de pergaminho. Em 1448, Gutenberg associou-se a Johann Fust, que financiou a criação da imprensa. A sociedade terminou em 1455. Isso levou Gutenberg à ruína.

A Origem do Papel

Por bookess | Postado em Novidades | em 29-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

248

Antes da criação do papel, em alguns paises e/ou grupos humanos existiram maneiras curiosas do homem se expressar através da escrita. Na Índia, usavam as folhas de palmeiras, os esquimós utilizavam ossos de baleia e dentes de foca. Na China os livros eram feitos com conchas e cascos de tartaruga e posteriormente em bambu e seda. Estes dois últimos antecederam a descoberta do papel. Entre outros povos era comum o uso da pedra, barro e até mesmo a casca das arvores. As matérias primas mais famosas e próximas do papel foram o papiro e o pergaminho. O primeiro, o papiro, foi inventado pelos egípcios e apesar de sua fragilidade, milhares de documentos em papiro chegaram até nos. O pergaminho era muito mais resistente, pois se tratava de pele de animal, geralmente carneiro, bezerro ou cabra e tinham um custo muito elevado. Os Maias e os Astecas guardavam seus livros de matemática, astronomia e medicina em cascas de árvores, chamadas de “tonalamatl”.

Clique abaixo para continuar lendo.

De um Jorge sobre outro Jorge

Por bookess | Postado em Novidades | em 28-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , , ,

354

Ando bastante sumido, é verdade. Não é preguiça de escrever, posso assegurar. Também não são os afazeres, que esses sempre existem. Talvez seja uma conjunção dessas duas coisas. A verdade é que nesses dias, não tive vontade de registrar nada. Tédio? Ao contrário, prefiro pensar que me acometeu o mesmo que ao grande Campos de Carvalho, que escreveu quatro magníficos romances nos anos 50 e que, depois, simplesmente parou de escrever. A um repórter que lhe fez essa pergunta em 1997, às vésperas de sua morte, disse apenas que “estava feliz demais para escrever”.

Mas hoje volto a esse espaço, onde dialogo comigo mesmo e com os poucos que leem esse blog – e sei realmente que não são muitos. Como disse certa vez, aqui traço mais um roteiro da minha vida de leitor do que da minha vida de verdade. Talvez se o fizesse, esse blog teria mais leitores. É como disse Mário de Andrade (com quem muito me identifico), “a vida alheia, sereia!”. No entanto, me escondo. Prefiro mostrar outra face, também íntima, também minha, mas não tão interessante, a do Jorge Luis Verly Barbosa leitor.

Veja mais abaixo.

As várias faces da (web) poesia

Por bookess | Postado em Novidades | em 28-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

19

Questão inimaginável para gerações anteriores da poesia, o arquivamento da produção espalhada por sites, blogs e redes sociais hoje merece reflexão. Afinal, na década em que os diários virtuais se popularizaram no Brasil, boa parte dos versos disponibilizados online nunca chegou ao papel – um dos motivos pelos quais é tão pouco estudada a poesia feita na última década. “Torna-se difícil mapear a produção ciberpoética se não tivermos uma estratégia de preservação para arquivar o material que existe na internet”, diz o cearense Aquiles Alencar Brayner, curador do acervo latino-americano da British Library, no Reino Unido. Prestes a concluir mestrado sobre arquivos digitais, Brayner dará palestra a respeito na terceira edição do Simpoesia, encontro internacional que acontece do próximo dia 5 ao 7 na Casa das Rosas, em São Paulo.

Continue lendo abaixo.

Os segredos da Biblioteca

Por bookess | Postado em Novidades | em 28-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , ,

6

A principal guardiã da memória do Brasil e zeladora de 9 milhões de obras, a Biblioteca Nacional comemora 200 anos na próxima sexta-feira com muita história e segredos a contar. Junto a manuscritos e documentos centenários — boa parte trazida pela Família Real, em 1808 —, a instituição guarda relíquias: cartas de D. Pedro I à amante, peças únicas no mundo e livros decorados com ouro. Todo o acervo é monitorado por criterioso esquema de segurança, capaz de visualizar até o que o visitante escreve.

Clique abaixo para continuar lendo.

Contra o analfabetismo funcional, os Clubes de Leitura

Por bookess | Postado em Novidades | em 27-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

12

Vale a pena acompanhar de perto a boa experiência que vem sendo realizada em Ribeirão Preto com o uso de livros e literatura de boa qualidade para enfrentar o velho dilema do analfabetismo funcional. Lá, a Fundação Palavra Mágica abriu 40 clubes de leitura entre atuais e antigos alunos da Educação de Jovens e Adultos. Os membros dos clubes leem os livros e uma vez por mês (em alguns, toda semana) se reúnem para discutir a obra lida. Os mediadores são voluntários das faculdades de Letras e Pedagogia. Entre os apoiadores do projeto piloto, está o MEC.

Fonte: http://litinfjuv.wordpress.com/tag/estimulo-a-leitura/