Em destaque

O ghostwriter e o poder norte-americano

Você sabia que os discursos presidenciais são raramente um trabalho feito pelos próprios presidentes? O trabalho de escrever discursos pertence aos ghostwriters (escritores –fantasmas),  que são os escritores especializados em escrever para os outros. O famoso presidente norte-americano George...

Leia mais

Top 10 clichês que autores precisam parar de usar

Por bookess | Postado em Dicas | em 28-07-2015

0

Blog Image

O clichê é o inimigo de uma boa escrita.

Nós, como autores, somos treinados para matar frases clichês. Mas essa não é a única maneira na qual eles aparecem. Eles também podem aparecer na estrutura de suas cenas ou diálogos e podem infectar as técnicas de escrita.

Precisa criar tensão? Tenha uma bomba com uma contagem regressiva!

O narrador é desprezível? Culpe os pais abusivos!

Esse tipo de “ferramentas” aparecem inúmeras vezes, servindo como muletas para autores se apoiarem e desenvolverem sua história sem muito esforço. Os exemplos abaixo são alguns dele:

1. Personagens se descrevendo em frente a um espelho

Porque é fácil: Descrever um personagem quando você está escrevendo em terceira pessoa é bem fácil, já que a voz do narrador é onisciente. Mas em primeira pessoa isso se torna um desafio. Como descrever o personagem sem fazer com que ele pareça vaidoso ou egocêntrico?

Porque é um clichê: É preguiçoso, e foi feito inúmeras vezes. E, sinceramente, ninguém olha para um espelho e analisa em detalhe todas as suas características. Você sequer precisa descrever tanto seu personagem principal. Descreva os pontos principais durante a narrativa e confie que seu leitor entenderá o resto.

2. Anunciar um evento futuro

Porque é fácil: Às vezes você precisa mudar algo para um personagem que está em uma fase tranquila. O que há de errado em dar dicas sobre o futuro?

Porque é um clichê: Esse é o clássico “mal sabia ele que”. Porque anunciar uma mudança no andamento das coisas? Deixe que seu leitor chegue lá sozinho e quando for a hora.

3. Culpar mau comportamento em pais abusivos

Porque é fácil: É difícil justificar mau comportamento. Se seu narrador é desprezível, você ainda sente a necessidade de justificar seu comportamento. Sabe o que torna as pessoas desprezíveis e não pode ser questionado? Pais ruins!

Porque é um clichê: Praticamente qualquer personagem perturbado da ficção é um resultado de ser sexualmente, psicologicamente ou fisicamente abusado por seus pais. Tornar seus pais monstros é a maneira fácil de explicar o mau comportamento do personagem. É muito fácil. Por vezes isso pode ser bem aproveitado, mas na maior parte dos casos os pais estão ali apenas para isso. Mas sabe o que é realmente assustador? Alguém crescer numa família normal e ainda assim se tornar desprezível.

4. Muitas piadas e referências

Porque é fácil: Porque você precisa ter certeza que todos saibam que você assistiu O Grande Lebowski.

Porque é um clichê: Os leitores entendem: você é engraçado e assiste coisas legais. Mas não deixe que estas referências sejam peça-chave de sua narrativa. Escrever para você e seus amigos é uma ótima maneira de afastar leitores.

5. O escolhido

Porque é fácil: O herói não é apenas especial. Ele foi escolhido por uma força maior!

Porque é um clichê: Personagens podem ser especiais sem terem sido tocados pela mão do destino. E, se seu personagem é a única pessoa que pode solucionar um problema, isso faz dele heroico? Ou apenas fácil de ser coagido? Ele não tem outra escolha além de ser heroico e isso não é realmente heroísmo. Raramente o trono é bem utilizado e, frequentemente, não é.

6. Contagem regressiva

Porque é fácil: Você sabe contar!

Porque é um clichê: Todos já sabem que tudo vai se resolver nos últimos segundos do relógio. Você pode poupar sua história disso.

7. Transmitir sua mensagem através de um sonho

Porque é fácil: Essa é a grande oportunidade de mostrar ao mundo que você é um autor de verdade: você é capaz de usar imagens para transmitir ideias.

Porque é um clichê: Isso raramente funciona, fazer o narrador descrever um sonho que coincide com a história. Isso ou transmite a mensagem descaradamente, e ninguém deve ter um sonho tão especifico ou é tão esotérico que você terá que se desdobrar para conectá-lo à história.

8. Usar sexo como realização de um desejo pessoal

Porque é fácil: Porque sexo é bom, especialmente se o narrador é uma persona sua.

Porque é um clichê: Existem poucas coisas tão embaraçosas para um autor como quando dois personagens – sempre lindos – se envolvem em uma cena de sexo quase pornográfica, e você pode ver claramente que é um reflexo de um desejo pessoal do autor.

9. Minorias mágicas

Porque é fácil: Você precisa representar uma minoria em sua história? Adicione-o como o personagem que ajudará o narrador! E faça de um modo místico! Isso vai provar que você não é preconceituoso.

Porque é um clichê: Índios nativo-americanos com conexões com a natureza; asiáticos com fortes ideais de honra; negros que aparecem com atitudes intimidadoras, mas que são guardiões de sabedoria. Todos são carregados com uma nobreza quieta. Você sabe do que eu estou falando.

10. Inconsciência conveniente

Porque é fácil: Às vezes você tem que mudar de cenário com um toque dramático. E o que é mais dramático do que seu personagem desmaiando e acordando em um lugar diferente, sem ter que lidar com as partes chatas do deslocamento?

Porque é um clichê: Se uma pessoa leva uma pancada forte o bastante para ficar inconsciente, eles devem ser levados imediatamente para um hospital, visto que há um risco de uma grave concussão. E mesmo assim personagens caem, frequentemente, em um estado inconsciente para levar a história adiante, ou para efeito dramático.

Fonte: Litreactor. Traduzido e adaptado por Bookess.

Coisas para se lembrar enquanto você sofre para construir sua carreira de escritor

Por bookess | Postado em Dicas | em 23-07-2015

0

Quando você está afundado até os joelhos na confusão que é aprender algo novo é fácil se perder nas trivialidades. O que é importante e o que não é? O que merece sua atenção e o que você pode deixar para lá?

Pensar demais atrasa seu progresso, a frustração cresce (e talvez até um pouco de pânico?) e logo você se vê perdido num sentimento de “eu nunca vou conseguir”.

E como as regras estão sempre mudando com rapidez, existe uma luta constante para se manter longe das coisas banais e se concentrar no que é realmente relevante para criar uma carreira longa e bem sucedida como escritor.

Respire fundo.

Construir uma carreira não é uma tarefa pequena. Para te ajudar a relaxar e seguir seu caminho, apresentamos uma lista de lembretes gentis sobre o que realmente importa. Coisas que você provavelmente já sabe, mas pode ter se esquecido enquanto lutava para criar seu império.

1. Fracasso é o melhor professor. Não perca oportunidades para o fracasso. É errando que você aprenderá as maiores lições. Aprenda o que você precisa para seguir em frente, ou se prepare para repetir as mesmas lições de novo (e de novo).

2. Deixe as oportunidades te surpreenderem. Esteja aberto à possibilidade que o caminho de seu trabalho pode te levar, às vezes para um lado oposto do que você imaginava. Você não pode prever uma curva acentuada ou um momento de sorte. Então tenha um plano, mas deixe espaço para surpresas.

3. Perfeito é improvável, então comece antes de você estar pronto. De acordo com James Clear: “Um começo imperfeito sempre pode ser aperfeiçoado”. A única maneira de chegar mais perto de “perfeito” é praticar a imperfeição. Então apenas comece onde você está. Seu melhor (agora) vai funcionar.

4. Seja você mesmo. Não tente imitar o estilo de escrita ou divulgação de alguém. Quanto mais sincera for sua comunicação e conexão com as pessoas que se importam com seu trabalho, mais fácil se tornará seu trabalho.

5. Um manifesto pessoal é necessário. Quem realmente é você? O que você valoriza? Você não conseguirá compartilhar o que você não consegue articular. Então reserve um tempo para registrar quem você é e no que você acredita. Você ficará surpreso quando notar quão difícil é isso, mas entender suas motivações e a mensagem que você está tentando passar é tão importante para você como para seus leitores.

6. Pare de se preocupar sobre o que os outros pensam. Não permita que os outros validem seu merecimento. Você importa, e fama não garante significância. Nem todo mundo vai te “entender”, mas em muitos casos, aqueles que entendem vão lhe aceitar.

7. Viva o agora. Não antecipe o sofrimento do fracasso antes que ele aconteça. E não fique preso ao passado, pois ele te impede de seguir em frente. Aceite este momento, agora mesmo, e retire tudo o que puder disso.

8. Não confunda difícil com complicado. Escrever e divulgar são trabalhos difíceis, mas nenhum dos dois é ciência de foguete. A parte difícil não é aprender o que fazer, é fazer o que você aprendeu.

9. Ignore o mito de sucesso repentino. Não caia na ideia de que existe um caminho rápido e com pouco esforço para o sucesso que você quer – e que o autor X descobriu. Existe sempre uma história de sangue, suor e lágrimas por trás do sucesso.

10. Escreva. Escreva. Escreva. Contrário ao que se acredita, o ato físico é necessário. Contemplar, processar e planejar pode ajudar, mas em algum ponto você terá que sentar e escrever. Repetidamente.

11. Se cure da Síndrome de Comparação Obsessiva. Nada suga mais a motivação de alguém como assistir alguém viver a vida que você quer. Não compare o que você está tentando fazer ao que alguém já fez. Use isso como inspiração de que é possível, mas entenda que a estrada que o levará será diferente.

12. Desvie das decepções. Suas palavras, ideias e histórias importam. Mas a importância de seu trabalho se torna irrelevante se você não pode passar por obstáculos. Encontre maneiras de desviar dos obstáculos, independentemente do tamanho.

13. Escrever deve ser um trabalho difícil. E levar isso às mãos de seus leitores é ainda mais difícil. Você realmente pensou que seria fácil?

14. Leia. Leia. Leia. Aprenda tudo o que você pode sobre como os outros escritores escrevem e como a indústria funciona. Incorpore o que funciona para você e descarte o que não funciona.

15. Cuide-se. Nada funciona se o tanque está vazio. Não importa se são pequenos rituais diários que te ajudam a recuperar o equilíbrio ou folgas de algumas horas por semana. Certifique-se de tomar um tempo para recuperar seu corpo, mente e paixões.

16. Todo mundo, em algum nível, sente ansiedade, confusão e medo sobre o próximo passo. Os que são bem-sucedidos são aqueles que dão o próximo passo mesmo assim.

17. Não persiga o dinheiro. Determine o que é mais valioso para você (aquilo que o dinheiro não pode comprar) e persiga isso.

18. Inspire-se. Copie o melhor, mas tente superar o original adicionando seu toque pessoal à mistura.

19. Às vezes, o que ótimos autores estão criando para fazer sucesso não funciona para você. Não existe algo como “tamanho único” neste meio. Assim como não há o caminho certo para te levar aonde você quer chegar. Aprenda a discernir entre o que funciona e o que não funciona.

20. Não intimide. Deixe as pessoas se aproximarem e se relacionarem com você. Relacionamentos se formam a partir de entendimento e interesses em comum. Permita-se se abrir e ser um pouco vulnerável.

21. Não seja intimidado. Pessoas podem se relacionar a vulnerabilidade e dificuldades, mas apenas seguem líderes. Comunique sua visão com confiança e propósito para que outros possam compartilhar dessa expressão.

22. Conheça seu público. Pesquisar e entender as pessoas que lerão seu livro vai lhe ajudar a comunicar melhor a sua mensagem.

23. Expanda sua criatividade além da escrita. As pessoas absorvem informações de maneiras diferentes. Não é porque você é um autor que você só pode comunicar com seu público por escrito. Trabalhe com uma variedade de mídias, como imagens, vídeo, música e blogs para expressar suas ideias.

24. Agradeça. Gratidão requer prática. Celebre o que você fez em vez de se preocupar com o que você não fez. Mude “eu tenho que” para “eu posso” e veja como sua visão sobre o mundo mudará.

25. Ouça. O que seus leitores estão dizendo? E críticos? E outros autores? Livre-se das críticas excepcionalmente negativas ou críticas não construtivas. Mas reconheça as dicas úteis que as pessoas estão dispostas a compartilhar contigo. Seu crescimento como autor depende da sua habilidade de escutar.

26. Impacte. Não tenha medo do que você pode realizar. Com persistência e foco até mesmo as menores coisas podem ter um grande impacto. Então comece pequeno, e então aumente sua influência e seu alcance.

27. Grandiosidade e ruína estão apenas a um passo de distância. Frequentemente as pessoas desistem cedo. Às vezes suportar por apenas alguns minutos a mais pode fazer a diferença entre sucesso e fracasso. Você nunca vai experimentar grandiosidade se não está disposto a chegar até a borda.

28. Se dê uma folga. Você pode suportar muito mais do que você pensa. Mas apesar de seus melhores esforços, algumas coisas não serão cumpridas. Aceite que, por vezes, seu melhor pode não ser bom o bastante.

29. Seja generoso. Não acumule sua criatividade e presentes. Compartilhe uma parte de seus melhores trabalhos gratuitamente. Pode parecer ingenuidade, mas é uma das melhores maneiras de ganhar mais pelo seu trabalho.

30. Faça algo que importe. Frequentemente nos concentramos em nossos desejos e necessidades imediatas. É difícil olhar para fora e se concentrar no todo. Reavalie seu propósito, a razão para criar o trabalho que você cria, e veja se você não pode inspirar uma emoção muito maior, uma conversa maior ou uma razão melhor para que as pessoas reajam.

31. Voe mais alto. Nós somos condicionados a voar baixo. Temos mais conforto em estar certos do que sinceros, mais segurança em se encaixar do que se destacar. Então não tenha medo de mirar mais alto.

32. Pare de procurar por garantias. Quanto maior o risco, maior o potencial pagamento. Esforce-se para sair das vitórias garantidas e mergulhe no risco.

33. Divulgue quão grande é a sua visão. Você pode ficar surpreso com quanto apoio você terá quando revelar a magnitude de suas metas. Seu comprometimento e crença no que você pode alcançar vai se espalhar para outros, então compartilhe sua visão. Não a esconda ou minimize.

34. Compartilhe sua história de origem. Como você chegou aqui importa tanto para você como para seu público. Não como um guia para como recriar o sucesso, mas para permitir que os outros tenham empatia e se relacionem com você como ser humano.

35. Deixe para trás suas crenças limitadoras. Não é tempo, tecnologia ou falta de experiência que está te segurando. São os limites que você está impondo a você mesmo que evitam que você perceba seu potencial completo. Treine sua mente para identificar estes pensamentos e exclua-os.

36. Faça uma escolha. É melhor escolher o caminho errado e realizar alguns ajustes do que nunca escolher uma direção. Decida o que você quer, e então comece a caminhar na direção de suas metas.

Pensamentos finais

Se você está com dificuldade para progredir, saiba que você não está sozinho. Mas, ao se lembrar do que é realmente importante em construir a vida que você imagina, você terá mais chances de aproveitar a jornada, em vez de apenas sobreviver a ela.

De You Writer Plataform. Traduzido livremente por Bookess.

 

Alteração nos termos de uso e pagamento de royalties

Por bookess | Postado em Comunicados | em 15-07-2015

0

Untitled-2

A Bookess informa que o sistema de pagamento de royalties para os autores foi alterado.

A partir desta data, o pagamento de royalties será realizado apenas através plataforma PayPal, de modo que todos os autores devem realizar seu cadastro (paypal.com.br) e informar o e-mail do  PayPal em suas contas.

No caso de não cadastro de uma conta PayPal válida, os royalties serão acumulados.

Como fazer meu cadastro do PayPal?

É muito simples. Entre no site do PayPal e clique no botão “Crie sua conta grátis”, como mostra na imagem abaixo:

Imagem

 

Você será redirecionado(a) para a página de cadastro, onde colocará o seu país, e-mail e senha. Sugerimos que você coloque o seu e-mail cadastrado na Bookess, mas você pode usar o e-mail que preferir:

ImagemNovamente, abrirá uma página solicitando seus dados pessoais. Preencha-os e clique na caixa abaixo que confirma que você concorda com os termos de uso do site.

Imagem

Agora, o site solicita que você inclua os dados do seu cartão de crédito. A razão é que o PayPal também funciona como um intermediário para realizar compras tanto no âmbito nacional quanto internacional. Preencha todas os requisitos desse cadastro e clique em Adicionar Cartão. Com o processo finalizado, o site irá te redirecionar para a janela da sua conta. Nela você poderá conferir quanto dinheiro você tem disponível, tanto em reais quanto em dólares, suas últimas movimentações, etc., como mostra na imagem abaixo:

Imagem

 

Com sua conta no PayPal pronta, agora basta você cadastrá-la na sua conta da Bookess. Para isto, entre no site da Bookess e faça seu login. Clique na aba Minha Conta, e em seguida em Configurações.

Logo abaixo das suas informações pessoais, existe uma área chamada Recebimentos, com um campo em que você deverá preencher com seu e-mail usado no PayPal, como mostra na imagem abaixo:

Imagem

 

Com isso feito, salve a alteração e pronto! Agora você receberá seus royalties através do PayPal e poderá transferir dele para sua conta bancária.

 

Pagamento de royalties referentes ao mês de Maio/2015

Por bookess | Postado em Comunicados | em 02-07-2015

0

Untitled-2_01Untitled-2_02

 

Os depósitos dos royalties do mês de maio, aos autores que acumularam o saldo mínimo de USD50.00, já foram realizados.

Ficamos muito felizes ao ver o resultado das vendas dos nossos autores, tanto no âmbito nacional como também no internacional através das livrarias como Cultura, Apple, Saraiva, Amazon, entre outras!

A Equipe Bookess deseja muito sucesso a todos os nossos autores!