Em destaque

Quando o sonho de escrever se concretiza

Você quer tocar as vidas através de seus livros? Ou, simplesmente quer mostrar a sua criatividade para o mundo? Não importa qual seja o seu motivo para escrever, o importante é que você já deu um grande passo: está no site da Bookess e ansioso por escrever e auto-publicar o livro. Quando você...

Leia mais

Os 20 grandes filmes baseados em livros

Por bookess | Postado em Novidades | em 30-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

2

Segue abaixo a lista de 20 grandes adaptações de livros que foram diretamente para os cinemas, clicando no link.

O editor que nunca leu livros

Por bookess | Postado em Novidades | em 19-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , ,

0

Allen Lane, o fundador do paperback Penguin, foi um dos maiores educadores de todos os tempos.

Ele era, ao mesmo tempo, brilhante e normal, e muito carismático, …um homem que "nunca virou a página de um livro" (em suas próprias palavras). E, mesmo assim, sempre foi um  apaixonado por levar as pessoas a lerem. Ele foi o responsável por toda uma mudança no mundo editorial quando, há 75 anos atrás, começou a vender livros bons pelo preço de um maço de cigarros.

A revolução literária estava só começando…

Milton e o paraíso perdido

Por bookess | Postado em Novidades | em 06-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , ,

0

Os versos de Paraíso Perdido lidos como último gesto de liberdade de Milton.

John Milton nasceu há 400 anos – pretexto para João Pereira Coutinho nos recordar o seu legado: É também um revolucionário moderno à frente do seu tempo ao defender como o poder político depende do consentimento popular.

Para ler matéria completa, clique aqui.

Fonte: Revista LER

Fernando Pessoa e seu espólio

Por bookess | Postado em Novidades | em 06-10-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

1

Entre leilões polémicos e arcas por abrir, a revista LER revela seis textos inéditos e a história do labiríntico Livro do Desassossego. Fernando Pessoa está aí para nos inquietar – felizmente.

Para ver a notícia completa, clique aqui.

Fonte: Revista LER

50 autores mais influentes do Século XX

Por bookess | Postado em Novidades | em 28-09-2010

Tags:, , , , , , , , , , , ,

1

A revista portuguesa LER divulgou uma matéria com uma interessante lista dos 50 autores mais influentes do Século XX, e o que aprendemos (ou deveríamos ter aprendido) com eles.

O texto é de José Mario Silva, foi publicado em abril de 2008, e você pode visualizar a matéria clicando no link abaixo:

50 autores mais influentes do Século XX

Leitura obrigatória para todo bom escritor.

Jack Kerouc, lições de um sábio beat

Por bookess | Postado em Novidades | em 18-09-2010

Tags:, , , , , , ,

0

Os mais cínicos costumam afirmar que uma mentira contada diversas vezes se transforma em verdade. Na literatura isso costuma acontecer com mais frequência do que se imagina. Em geral alimentados por uma ignorância quase inofensiva, os boatos aos poucos vão ganhando corpo e se transformam em verdades absolutas. Foi isso que aconteceu com um aspecto importante da literatura de Jack Kerouac, o mais famoso dos escritores beat.

Jack Kerouac levou a sério o aforismo de Maiakovski que diz não haver arte revolucionária sem forma revolucionária. Décadas depois a máxima foi revista por alguém que não lembro o nome, que a mudou dizendo que não há obra experimental sem vida experimental. Acho que foi o Leminski, mas realmente não estou certo disso, o que também não faz a mínima diferença aqui. Mas o fato é que Kerouac viveu como seus personagens; seus amigos eram como os amigos de seus protagonistas; e as aventuras de seus livros eram as suas aventuras. Enfim, um indício perigoso, que faz qualquer acadêmico corar, de que vida e obra andam, em muitos casos, coladinhas. A diferença entre os bons e maus escritores é que uns sabem, outros não, como colocar isso no papel.

Mas, mais do que ter seu nome associado a um..

Livro ‘mais caro do mundo’ será leiloado em Londres

Por bookess | Postado em Novidades | em 14-09-2010

Tags:, , , , , , , , ,

0

O livro que obteve o maior preço do mundo em um leilão voltará a ser colocado a venda no dia 7 de dezembro, segundo informações da BBC. Há uma década, “Birds of America”, obra de John James Audubon que reúne mil ilustrações em tamanho real de quase 500 pássaros, atingiu a marca de US$ 8,8 milhões (mais de R$ 15 milhões).

Só são conhecidos 119 livros iguais a esse, sendo que 108 estão em posse de museus e bibliotecas. O artista demorou 12 anos para completar o seu trabalho. Audubon viajou toda a América retratando os pássaros e, em seguida, voltou para a Grã-Bretanha para imprimir os volumes e vendê-los.

Raridade de Shakespeare

Birds of America” faz parte da coleção de Lord Hesketh que também inclui uma cópia rara do Primeiro Folio de Shakespeare, que a casa de leilões Sotheby’s diz ser “o mais importante livro em toda a literatura inglesa”. Dos 750 que provavelmente foram impressos, apenas 219 são conhecidos ainda hoje em dia.

Além de "Birds of Americas" e do Shakespeare, cartas de Elizabeth I também vão fazer parte do leilão.

“Ter todos esses itens em uma mesma venda é memorável; certamente nunca aconteceu em meu tempo, em 15 anos, e o pessoal que está aqui há mais tempo não consegue lembrar de nada assim”, afirmou David Goldthorpe, especialista em livros e manuscritos de Londres da casa Sotheby's, onde acontecerá o leilão.

Fonte: http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2010/09/livro-mais-caro-do-mundo-sera-leiloado-em-londres.html

O aluno depende demais do Google

Por bookess | Postado em Novidades | em 12-09-2010

Tags:, , , , , , , ,

2

Ele é um rato de biblioteca. Robert Darnton ama os livros. Especialmente se forem antigos, com mais de 200 anos. Darnton é um dos maiores historiadores americanos. Por quatro décadas, explorou os meandros das grandes bibliotecas da Europa à caça de volumes perdidos de romances amorais do Antigo Regime ou da única cópia de um folhetim subversivo da França pré-revolucionária. Darnton, hoje com 69 anos, se aposentou da Universidade Princeton em 2007 e assumiu a direção da Biblioteca da Universidade Harvard. Tomou a missão de digitalizar e tornar acessível gratuitamente pela internet o conjunto da produção intelectual de Harvard. Defensor da nova tecnologia, Darnton detecta nos alunos a perda de intimidade com uma tecnologia mais antiga – o livro.

Veja entrevista completa abaixo. 

Autora explica como redes sociais impulsionaram a venda de seu livro

Por bookess | Postado em Dicas | em 03-09-2010

Tags:, , , , , , , , ,

1

Recebi treze rejeições antes de decidir autopublicar o meu livro. Isso foi há cinco anos. Ouvi muitas histórias desastrosas de autores autopublicados, principalmente em relação à imprensa e às caixas de livros empoeirando nos hobby boxes. Eu sou uma das escritoras sortudas, neste aspecto. Já assinei grandes contratos pra fazer uma série de livros, com direitos autorais mundiais garantidos. O segredo do meu sucesso? Meus sites, blogs e a intensa atividade da minha rede social.

Assim que acabei de escrever o meu livro criei um site e enviava posts regulares. Inicialmente comecei com vinte destinatários; minha lista de discussão tem, agora, bem mais do que mil assinantes. Três anos depois, temos uma comunidade próspera www.stonewylde.net, uma rede social com cerca de 700 membros, além das adesões diárias. Eles adicionam fotos e vídeos, participam em muitos debates diferentes, atualizam o status com regularidade e participam do chat. É uma comunidade feita de amizades verdadeiras.

A melhor coisa sobre redes sociais é que ela mantém os fãs engajados. Ao invés de simplesmente lerem os meus livros e então seguirem em frente, eles permanecem fiéis à Stonewylde. Eles falam sobre a nossa comunidade para  os seus amigos e familiares que, em seguida, também leem os livros. A lealdade dos leitores..

Tony Blair relata em memórias que recorreu a bebidas para lidar com pressão

Por bookess | Postado em Novidades | em 01-09-2010

Tags:, , , , , , , , ,

0

O ex-premiê britânico Tony Blair revelou, em um livro de memórias que está sendo lançado nesta quarta-feira, que recorreu a bebidas alcoólicas para conseguir relaxar e lidar com as pressões do cargo.

"Uísque puro ou gim e tônica depois da janta, alguns copos de vinho ou até mesmo meia garrafa com a refeição. Nada excessivamente excessivo. Eu tinha limite. Mas eu estava percebendo que a bebida estava virando um amparo ['prop', em inglês]", escreve Blair no livro A Journey (Uma Jornada, em português).

Tony Blair, do Partido Trabalhista, foi primeiro-ministro da Grã-Bretanha entre 1997 e 2007. Sua chegada ao poder interrompeu 18 anos de governo dos conservadores no país.

Sob a bandeira do New Labour (Novo Trabalhismo, em tradução livre) que pregava uma Terceira Via no debate ideológico entre esquerda e direita, Blair governou a Grã-Bretanha durante a invasão do Iraque, em 2003, que marcou seu governo.

No livro, Blair fala sobre o seu período no poder, a guerra do Iraque e a ascensão dos trabalhistas na Grã-Bretanha, entre outros temas.

Gordon Brown

O livro provocou polêmica, em particular entre os trabalhistas britânicos devido a críticas ao seu sucessor no cargo, Gordon Brown. Os trabalhistas estão escolhendo neste mês quem será o sucessor do ex-premiê Brown na liderança do partido.

Brown renunciou à liderança do partido e ao cargo de primeiro-ministro em maio, quando foi derrotado pelo Partido Conservador de David Cameron em eleições gerais.

Em meio a algumas palavras elogiosas, Blair refere-se a Brown como "enlouquecedor" e diz que sabia que caso seu sucessor não mudasse algumas políticas, seu governo seria "um desastre".

"Ele era uma pessoa difícil, às vezes enlouquecedora? Sim", escreve Blair, que em seguida elogia Brown. "Mas ele também era forte, capaz e brilhante, e essas eram qualidades que eu nunca deixei de respeitar."

Blair ainda diz no livro que Brown, que foi ministro das Finanças do seu governo antes de sucedê-lo como premiê, era um "sujeito estranho" e com "inteligência emocional zero".

Blair relata que era impossível segurar a ascensão de Brown, já que o político possuía grande base de apoio entre os trabalhistas.

Ele sugere que caso tivesse demitido Brown, "o partido e o governo se desestabilizariam imediatamente e de forma grave, e sua ascensão ao cargo de primeiro-ministro seria talvez até mais rápida".

Em entrevista à BBC, Blair diz que seu relacionamento com Brown era "francamente difícil, quase impossível", mas que seu ministro sempre foi também uma fonte de força para o governo.

O porta-voz de Gordon Brown disse que o político não fará nenhum comentário sobre o livro de Blair.

Mas entre os trabalhistas, que estão passando pelo processo de escolha do sucessor de Brown para a liderança do partido, houve muitas críticas a Blair.

"Estou surpresa que Tony Blair não tenha esperado um intervalo maior antes de enfiar a faca em Gordon Brown. Isso não ajuda o partido neste momento", disse a trabalhista Diane Abbott, que concorre para suceder Brown na liderança do partido.

Um parlamentar trabalhista ligado à Brown disse que "a versão unilateral de Blair" sobre os fatos já era esperada.

Iraque

Sobre a guerra do Iraque, Tony Blair diz que deixar Saddam Hussein no poder no país seria "um risco maior" do que removê-lo do poder.

Blair foi um dos principais defensores da ideia de invadir o Iraque junto com os Estados Unidos, em 2003, para derrubar o regime de Saddam.

"Eu não consigo satisfazer aos desejos nem mesmo de alguns dos meus apoiadores, que gostariam que eu dissesse: [invadir o Iraque] foi um erro, mas um erro cometido de boa-fé. Amigos que se opõem à guerra acham que eu estou sendo teimoso; outros, menos amigáveis, acham que eu sou delirante. A ambos, eu posso dizer: mantenham uma mente aberta", escreve Blair.

Em suas memórias, Blair reconhece que houve problemas no planejamento da invasão do Iraque. Ele escreve que "nós não antecipamos o papel da Al-Qaeda ou do Irã" no planejamento sobre o que aconteceria depois da invasão.

Ele também falou sobre o seu "sofrimento" com as mortes provocadas pelo conflito na Grã-Bretanha.

"Eu lamento desesperadamente por eles [os soldados mortos], lamento pelas famílias cujo sofrimento foi agravado pela polêmica sobre o porquê de seus amados terem morrido, lamento pela seleção injusta de que quem perdeu a vida." BBC Brasil – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,blair-relata-em-memorias-que-recorreu-a-bebidas-para-lidar-com-pressao,603564,0.htm