Em destaque

Para gostar de ler

Ler é importante porque: desenvolve ainda mais a capacidade de reflexão e interpretação e dinamiza o raciocínio lógico. Nessa fase da vida em que as pessoas costumam parar de estudar formalmente, a leitura toma o papel essencial como ampliadora de vocabulário e forma de adquirir conhecimento....

Leia mais

Já é Natal! E a Bookess tem um presente para você!

Por bookess | Postado em Sem categoria | em 07-12-2015

Tags:, , ,

0

Presente de Natal - Livros

Para incentivar suas compras de Natal na Bookess, preparamos uma promoção especial para os autores e leitores.

Os pedidos de 3 ou mais livros impresos ganharão uma caneca exclusiva da coleção disponível em nossa loja de produtos personalizados, bem como os pedidos de serviços que incluírem revisão, diagramação ou capa.

Lembrando que, para que seus pedidos cheguem até o Natal, eles devem ser ter o pagamento confirmado até o dia 11 de Dezembro.
Pedidos feitos após essa data podem ser entregues apenas após o Natal.

Confira nossos produtos personalizados clicando na imagem abaixo:

Produtos loja bookess

*Promoção válida até o dia 31 de Dezembro

Vendas seus livros na Apple

Por bookess | Postado em Comunicados | em 28-11-2011

Tags:, , , , , ,

839

Querido(a) autor(a),

Já imaginou seu livro à venda em mais de 30 países pela iBookstore – Apple?

Com a Bookess, isso é possível!

Bookess e Apple? Como assim?
A Bookess agora oferece a oportunidade da venda de livros digitais através da iBookstore – Apple para mais de 30 países!

Quanto eu ganharei?
Os royalties serão distribuídos da seguinte forma:
50% Autor
30% Apple
15% Bookess
5% Distribuidora digital

O que é preciso para eu vender meu livro na iBookstore?
1.O livro deve ter sido reconhecido com o Selo Boa Escolha
2. Você deve ter o ISBN para livro digital (eISBN).
3. É preciso que o livro esteja em formato EPUB (que é um padrão internacional para e-books); nós mesmos podemos fazer esta conversão para você (ao preço promocional de R$ 119,00).

E se fizerem cópia de minha obra?
Não se preocupe com a proteção anti-cópia. Os livros vendidos na Apple possuem tecnologia de proteção DRM para iPad, iPod e iPhone.

Como terei controle das vendas? Quando receberei?
Você receberá os relatórios de vendas mensalmente e os royalties serão pagos seguindo a política atual da Bookess:
http://www.bookess.com/infos/terms-of-use/

O que faço para me inserir neste mercado mais amplo?
Mande e-mail agora mesmo para contact@bookess.com solicitando seu eISBN, se ainda não o tem, e a conversão do formato do seu livro para EPUB. Na sequência orientaremos os próximos passos.

Leve sua produção mais longe ainda! Não deixe pra depois, a tecnologia não para, a Bookess também não.

Saudações Literárias,
Equipe Bookess.

Publicar no Brasil!

Por bookess | Postado em Sem categoria | em 12-10-2011

Tags:, , , ,

170

Compartilhamos aqui o que um  Paulo Cavalcante, um de nossos colaboradores,  divulgou em sua rede pessoal.

 

Publicar um Livro no Brasil

 Publicar um livro no Brasil já foi tarefa mais difícil. Atualmente, com a globalização e o acesso à Internet, surgiram editoras que apostam nas pequenas tiragens ou/e impressão sob demanda. Isso torna o escritor um autopublicador.

A mais recente novidade é a Bookess que já atuava como biblioteca e editora virtual e agora anunciou a sua loja virtual, brevemente. Um sistema onde qualquer pessoa poderá vender o seu próprio livro através do site. O autor vai escolher o quanto deseja ganhar, para isso fixará um preço que considerar adequado. A Bookess receberá uma pequena porcentagem de cada venda. Neste processo, o autor terá acesso a um relatório mensal de suas vendas, onde após um valor mínimo de R$100,00 a receber, o autor terá o dinheiro depositado diretamente na sua conta. Dessa maneira, qualquer pessoa poderá realizar o sonho de publicar seu livro, vendê-lo através do site e ainda ganhar dinheiro com isso.

Algumas editoras colocam à venda os livros e até fazem a página do escritor nos seus sites. Esse tipo de divulgação é pouco, contudo.  Os percalços ainda são muitos. É preciso gostar de escrever e querer compartilhar com os leitores. Quando se assume uma autopublicação, a tarefa de divulgar o livro é do escritor. Isso concretamente.  É necessária muita coragem, perseverança e a paixão pelo ato de escrever. Entretanto, a possibilidade que surgiu através da internet faz mais sentido ainda diante de tantas barreiras impostas pelas grandes editoras.

Paulo Cavalcante

Autor do livro Mensagens de Fé

http://twitter.com/p_cavalcante

Lançamento do Livro Devaneios Literários

Por bookess | Postado em Novidades | em 09-06-2011

Tags:, , , , , ,

567

Entrevista com Mariana Collares, autora de DEVANEIOS LITERÁRIOS (Crônicas), pela Editora Bookess:

1 – O livro Devaneios Literários é um blog que se tornou livro. Poderia nos contar como surgiu essa ideia de transformar os textos do blog em uma publicação?

Para explicar isso preciso falar um pouco do blog e seu começo: O blog nasceu há seis anos – início ainda dos blogs contendo textos literários – e o fiz porque costumava mostrar aos amigos mais próximos os textos que escrevia, e que pela primeira vez me encorajava a tirar da “gaveta”, para que eles mesmos, e quando assim quisessem, pudessem dar uma espiada e me dizer o que achavam. O blog foi, assim, minha escola, minha oficina literária, e não tinha qualquer pretensão de virar livro ou atingir alguma “famosidade”, “sucesso de público e acessos”, etc. Era a minha página, que eu sequer divulgava. Então só era “achado” por acaso e por quem estivesse navegando a procura de tudo e nada.

Reparei, entretanto, que os acessos estavam aumentando muito, e que entre os seguidores do blog estava o link da Bookess. Nessa época, cerca de seis anos depois de sua criação, muitas pessoas já conheciam meus textos e elas é que me diziam para publicá-los. Pensei então em pagar uma publicação, com uma tiragem tímida somente para família e amigos, para ficar guardado como mais um feito de vida de alguém que vive o cotidiano comum de todo mundo. Coisa como um álbum para o pai e a mãe, ou para colocar num retrato em plena sala. Então, num sopro de ousadia, entrei em contato com a Bookess e comecei a conversar sobre essa possibilidade. Conheci o site e vi as publicações que então lá estavam e fiz, eu mesma, o livro, diagramando e criando capa. Coisa como: “aqui estão os melhores textos (ou os que mais gosto) do blog. Levem pra casa e guardem como uma relíquia minha”.

Foi então que notei que os acessos, em um mês que havia postado o livro no site, foram muito expressivos, chegando a cerca de 1000 leituras. As pessoas começaram a entrar em contato, por e-mail e pelo site mesmo, me parabenizando e dizendo que estavam gostando e se identificando com aquilo que escrevia. Motivada por isso, entrei em contato com o site (já havia mandado o livro para outras editoras) e perguntei se haveria interesse de formarmos uma parceria para a publicação. A resposta foi “sim”.

2 – Que tipo de devaneios poderemos encontrar na sua obra? Qual a linha literária que segue?

Não cursei letras ou literatura. Ao contrário, minha formação é o direito e a vida inteira me dediquei a ele. A literatura era e é o meu amor. É por ela que me expresso, que mostro a fotografia escrita daquilo que sinto e vejo. É minha tradução do mundo.

Quando comecei a escrever com alguma freqüência, notei que ora era prosa, ora poesia, ora crônica, ora conto. Não havia, por assim dizer, um estilo bem definido. Eu me expressava e ponto. Sem forma, sem rótulo. Nós somos mesmo muito complexos para nos adequarmos a um único padrão… Por esse motivo chamei meus textos de “devaneios”, pois são divagações sobre a vida, os sentimentos, o todo que nos cerca. Ora são puros devaneios, ora são devaneios filosóficos, ora são bem humorados… Divagações de um ser em movimento.

Quanto à linha literária, li de tudo, mas o gênero em que escrevo é sempre o narrativo. Desde muito cedo leio bons livros, muito estimulada por meus pais. Mas sinto que é algo de família. Minha avó paterna, tendo estudado somente até a quarta série primária, é fã ardorosa da boa literatura e se inclui na sua biblioteca Cervantes, Dante e outras obras clássicas.

Comecei com os clássicos da literatura brasileira: José de Alencar, Machado de Assis, Érico Veríssimo, que li muito cedo, com cerca de 12 ou 13 anos de idade. Mas lia mesmo o que me davam ou me caía nas mãos da biblioteca de minha mãe – socióloga e que sempre leu muito. Então li desde Saint-Exupéry passando por Agatha Christie, Hermann Hesse, Engels, Marx, García Marquez, Tolstói e os demais russos, Cervantes, etc. Desde literatura clássica a livros sociológicos e de ciência política (meus pais sempre foram ativistas políticos de esquerda). Com o tempo, fui conhecendo gente que ainda não havia lido (Hemingway, Virgínia Woolf, Fitzgerald, Nietzsche, Sartre, Simone, Eça…). Ousei por Goethe, Dante, Santo Agostinho, Platão, Epicuro… Me aventurei com Gide, Hilda Hilst, Saramago. Na poesia Pessoa, Neruda, João Cabral, Rimbaud, Baudelaire, Drummond, Quintana, Vinícius… Na literatura mais intimista Clarice, Caio Fernando Abreu… Ora entro numa livraria e saio com Graciliano Ramos e Érico, ora saio com Ovídio ou mesmo Vargas Llosa, Galeano, Luis Fernando Veríssimo…. Minha biblioteca é ampla e eclética, assim como eu. Como não cursei literatura, me sinto na obrigação e com uma curiosidade imensa de saber e entender o estilo de cada autor. Cada época e a mente desta época retratada em cada obra. Tenho muito ainda que ler. Sinto que terei uma vida inteira e não terei lido tudo e todos. Tem muita gente boa por aí… Normalmente tenho uns cinco livros ao lado da cama e vou alternando a leitura, conforme o dia e meu estado de espírito. Nas férias, leio o tempo todo. Enfim, ler é um vício. O melhor de todos.

3 – Quem é o público-alvo dessa proposta?

Não sei. Mas sinto que toda a gente. Como foi um livro estimulado pelo público, vejo que dentre os seguidores do blog há gente de todas as idades, orientações filosóficas, identidade social e cultural. Na maioria, os textos são crônicas sobre o cotidiano, os sentimentos, o “eu” e o “nós” – temas que considero universais e podem ser lidos por todos os que gostem desse tipo de leitura. Os textos não são longos, então vejo que agradam justamente por serem concisos, em linguagem simples, direta. Veja bem, são textos postados em um blog, que é o retrato individual de um ser. Então eles não têm uma “proposta de marketing” em si mesmos. Eles não nasceram para isso. Eles nasceram de alguém para o mundo. O fato de serem publicados é mera conseqüência de existirem e terem passado pela aprovação de muitos.

4 – Por que a escolha da Bookess como editora?

Nos achamos: eu a ela, ela a mim. Nem sabemos quem começou. Foi puro acaso. Mas depois, vendo o trabalho desenvolvido pela Bookess, comecei a gostar, a me identificar com a democratização da literatura e do pensamento, e com liberdade dada ao autor. Mais, vejo que o futuro está aí: fora das editoras tradicionais, ou com “modelos tradicionais” de vendagem e publicação de livros. A Bookess está antenada com nosso tempo e o futuro, disponibilizando e democratizando realmente o acesso à cultura e à informação. E nada melhor para um cronista do que trabalhar com quem se parece com ele…

5 – Livros baseados em diários e memórias são muito comuns, mas publicações baseadas em blogs são ainda uma novidade. Você acredita nessa nova tendência? Considera que os blogueiros podem aproveitar uma iniciativa como a sua?

Acredito muito. A internet veio e se instalou definitivamente em nosso meio social e cultural e é um espelho daquilo que somos hoje. Saímos de nosso ambiente sem termos que sair de casa, e encontramos outros seres “viajantes” nesse meio, espalhando ideias, pensamentos. Olhar a vida do outro do estreito espectro da nossa realidade nos “aumenta”, ou “aumenta” nossa perspectiva de vida. Hoje todo mundo tem página na internet, tem um blog, tem algo a dividir com o mundo. Nossas bibliotecas e nosso mundo conhecido estão migrando para a internet, para um ambiente virtual porque nossa vida real está cada vez mais “ideal”. Então blogueiros (detesto esta expressão) podem se estimular sim e se encorajar. O mundo os está lendo, vendo.

O ofício da escrita sempre foi muito solitário. E de certa forma ainda é. Mas o resultado, o que podemos estimular no público, esse é sentido imediatamente através dos blogs. É uma interação imediata com o público, com quem está nos vendo. É muito bom. Finalmente não estamos sós.

Sobre a autora:

Mariana Collares é escritora. Vive em Porto Alegre, dedicando-se à escrita literária e à carreira de formação: o direito.

Publica, cotidianamente, suas crônicas no blog DevaneiosLiterarios.blogspot.com, inaugurado em 2005, e é colunista do site Comunidade Literária Benfazeja (www.benfazeja.com.br).

Plágio é crime!, por Mariana Collares

Por bookess | Postado em Novidades | em 04-03-2011

Tags:, , , ,

6

Ok, você adorou o texto! Ele te traduziu, ou traduziu teus sentimentos, ou tuas vontades, ou teus sonhos. Ele até parece teu!!! Parece feitinho pra ti, pra caber certinho na tua boca, na tua página de relacionamentos na Internet, no teu blog! Tudo muito legal se não fosse o anti-critério de colocar teu nome embaixo dele. Não faça isso! É feio, é passível de tudo, desde danos morais a cadeia! Ok. Cadeia é demais. Mas dá uma boa pena alternativa. E na reincidência, dá cadeia mesmo. Qual a tua diferença para os caras que furtam e roubam? Nenhuma. Você se APROPRIOU de algo que não criou. Fez teu o que não é teu, mas é do mundo. Dito por alguém um dia, num dia inspirado, que não foi ganho de presente. Inspiração é igual a trabalho árduo. Não nasce do nada! Vem de anos e anos de leitura e pensamento. De anos de imaginação posta em prática e nada de preguiça. De anos de estudo e transpiração para chegar a criar algo que valha para o mundo – esse que tá aí pra admirar o belo, o inovador, o emocionante! Então não copie! Não ponha teu nome em algo que não criaste. Em algo que nunca foi teu! Mesmo que seja algo que poderias dizer com a maior naturalidade! Plágio é crime! Plágio indica mau-caráter. Plágio é falta de criatividade, de vergonha na cara. Sabe aspas? “ASPAS” servem para citar. Depois delas vem o ponto e depois o nome do autor. Pode ser? Leia, divirta-se, cite, sem problemas. Mas não atribua algo que não é teu a ti mesmo ou a alguém ao revés do autor. Mostre que tens talento, ao menos pra escolher as palavras bonitas para enfeitar teu blog-espaço. Se elas não são tuas “formalmente falando”, elas se fazem tuas. Mas não as roube. Use-as com critério. Com educação. Com dignidade. Difícil? Não. Fácil pra quem entende o valor de uma bela criação, qualquer que seja. Todo mundo já criou algo de seu pro mundo. Então pense nisso e não entre nessa de PlÁGIO. Esta autora agradece.

Escrito por: Mariana Collares

Fonte: http://devaneiosliterarios.blogspot.com/2011/02/plagio-e-crime.html

Bookess lança livro em parceria com Sebrae

Por bookess | Postado em Comunicados | em 15-02-2011

Tags:, , , ,

883

“Eu quero ser empresário…Rico!” é um livro que surpreende ao ampliar os horizontes do leitor, o fazendo compreender a importância de não se contentar em ser apenas um pequeno empreendedor. Por que não investir em planejamento estratégico e se tornar um empresário emergente bem sucedido?

No próximo dia 23 de fevereiro, a partir das 19h, o autor Joel Fernandes recebe os leitores no lançamento de seu terceiro livro, Eu quero ser empresário…Rico! – Sua empresa muito além do sufoco do dia a dia, na sede do Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina – CRCSC, em Florianópolis.

O autor Joel Fernandes utiliza todo o seu expertise para propor um conceito inovador no que se refere à postura de investidor quando se está diante do próprio negócio.

“Há oito anos tenho estudado o motivo pelo qual a maioria das empresas brasileiras não se torna rica. A obra mostra a transformação de empreendedores que sabem trabalhar, mas não sabem ganhar dinheiro, em empresários com espírito investidor”, explica o autor quando indagado sobre a inspiração da publicação.

Os anos de observação da classe empresarial deram subsídios para que Joel traçasse um perfil mais apurado do mercado brasileiro. “Ao contrário do que se observa na trajetória dos empresários europeus, no Brasil as pessoas abrem empresas e se contentam quando elas suprem suas necessidades financeiras básicas”, afirma.

A linha filosófica utilizada pelo autor, tanto na análise do comportamento empresarial quanto na construção do enredo do livro, é inspirada nas teorias do filósofo francês Maurice Merleau-Ponty, ávido estudioso dos fenômenos que rondam o comportamento humano.

O conteúdo desenvolvido nos 12 capítulos do livro é um estímulo aos profissionais que desejam fazer de suas empresas não apenas uma fonte de sobrevivência, e sim, uma poderosa ferramenta de gerar lucros.

Sobre o evento

O lançamento do livro Eu quero ser empresário…Rico! Sua empresa muito além do sufoco do dia a dia (Editora BOOKESS, 220 pág., R$ 34,00), do autor Joel Fernandes, será no dia 23 de fevereiro, às 19h, na sede do CRCSC, Av. Osvaldo Cabral, nº 1.900, no Centro de Florianópolis. O evento é gratuito.

Fonte: http://www.deolhonailha.com.br

Lançamento – o primeiro voo do jornalista Lula Falcão no campo da ficção literária

Por bookess | Postado em Comunicados | em 25-01-2011

Tags:, ,

955

O ritmo frenético, o excesso de informação e a extinção das fronteiras da intimidade da vida virtual serviram de inspiração para o primeiro voo do jornalista Lula Falcão no campo da ficção literária. Repórter experiente, com passagens pela revista Veja e jornal Estado de São Paulo, o autor se mostra dono de um olhar afiado para captar as angústias do seu tempo, construindo a personagem Maria Lúcia a partir do seu círculo de amizade.

“É um personagen urbano, que eu peguei de várias pessoas que conheço. Misturei tudo e criei um personagem de ficção”, explica Falcão. Maria Lúcia primeiro surgiu postando rápidas reflexões no blog lulafalcao.blogspot.com e logo conquistou o interesse dos leitores. Agora os relatos da personagem chegam condensados em versão impressa, sob o título Todo dia me atiro do térreo … tuiteira.

Através dos pequenos posts, a personagem revela os bastidores da sua rotina vazia em frente ao computador, expondo sua trajetória de solidão conectada à rede. Aos 35 anos, Maria Lúcia não poupa sarcasmo para descrever a falta de sentido da sua vida, cuja carreira de atriz foi progressivamente lhe levando para os bastidores da produção cultural, no ritmo das rugas do tempo. “Apesar dos problemas, ela vai levando, pisando na jaca e chutando o balde”, brinca Falcão.

Entre projetos para as leis de incentivo, bebedeiras, casos amorosos fracassados e sexo virtual, a narradora despeja seus arrependimentos em pílulas fáceis de engolir, mas que trazem como efeito colateral pontadas de desassossego. Mérito do autor, que soube captar a desilusão de uma geração com fome de tudo e passar isso através da despretensão dos textos lançados na internet, provocando uma leitura alucinante, de uma pegada só. Consciente do ritmo acelarado dos seus interlocutores, Falcão explora o olhar corrosivo da personagem para descrever, em pratos rasos depouco mais de 140 toques, as profundezas da angústia das pessoas que vivem pelas redes sociais e salas virtuais de bate-papo.

Publicado pela Bookess, a edição traz apresentação de Adriana Falcão, orelha escrita por Xico Sá e projeto gráfico assinado por Pedrinho Fonseca. Após a noite de autógrafos no Recife, o título será lançado em São Paulo e no Rio. Segundo o autor, a expectativa é de que a obra saia em formato digital.

Livro no site da Editora Bookess: Todo Dia me Atiro do Térreo #tuiteira

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br

Descontos Progressivos Bookess

Por bookess | Postado em Comunicados | em 11-01-2011

Tags:,

539

Prezados Autores e Usuários,

Estamos iniciando 2011 com muitas novidades para você. Já está no ar o novo sistema de descontos da Loja Virtual na Bookess.

A partir de agora o desconto será calculado automaticamente no momento de sua compra. Quanto mais exemplares você comprar, menor será o preço unitário do livro. Basta apenas definir a quantidade de exemplares no seu Carrinho de Compras e Atualizar o Carrinho.

Abaixo, a recém negociada tabela de descontos da Bookess:

Entre 10 a 19 exemplares – 10%
Entre 20 a 29 exemplares – 15%
Entre 30 e 49 exemplares – 20%
Entre 50 a 199 exemplares – 25%
Entre 200 a 499 exemplares – 30%
A partir de 500 exemplares – 35%

Vale lembrar que na Loja Virtual da Bookess o frete é gratuito para todo o Brasil.
O desconto é calculado sobre o valor de produção do livro, não interferindo nos royalties de cada autor.
Aproveite, faça já o seu pedido.

Abraços,

Equipe Bookess

Como funcionam os cupons de desconto?

Por bookess | Postado em Comunicados | em 01-12-2010

Tags:, , ,

141

Caro(s) autor(es),

É com muita satisfação que trazemos mais uma novidade para vocês. Como todos sabemos, a divulgação do livro é muito importante para que ele tenha sucesso e seja reconhecido. Você sempre divulga seus livros principalmente para seus amigos, conhecidos e também em redes sociais como o Orkut e Facebook e também no Twitter, não é mesmo?

Como a Bookess não pára de inovar, estamos lançando mais uma maneira para contribuir com o autor na divulgação de seu livro: o cupom-desconto.

Agora o autor já pode criar descontos para seus livros digitais e/ou impressos.

Funciona assim:

Na página de edição de livros, você verá um novo link:

Basta clicar para ser apresentada a tela a seguir.

Você pode criar cupons para os dois formatos do seu livro, mas pode também, criar cupons apenas para um formato específico. Você está no controle!

Para você criar um cupom é simples! Informe apenas o percentual do desconto (que será calculado com base no seu lucro), a quantidade máxima de vendas que poderão ser efetivadas com este cupom e a data limite para expiração do mesmo. Viu como é simples?

E para saber mais sobre o marketing de seu livro, não deixe de consultar o Manual Bookess de Divulgação.

Mais novidades estão a caminho, aguardem!

Abraços,

Equipe Bookess

Para gostar de ler

Por bookess | Postado em Novidades | em 17-11-2010

Tags:, ,

447

Ler é importante porque: desenvolve ainda mais a capacidade de reflexão e interpretação e dinamiza o raciocínio lógico. Nessa fase da vida em que as pessoas costumam parar de estudar formalmente, a leitura toma o papel essencial como ampliadora de vocabulário e forma de adquirir conhecimento. Ela promove viagens por mundos desconhecidos e amplia horizontes, reais e imaginários, elevando os níveis de cultura e conhecimento geral do adulto.
Como estimular: é fundamental fazer o adulto perceber que a leitura é muito mais que uma perda de tempo, podendo ajudá-lo em conquistas palpáveis. O tempo de filas e ônibus pode ser muito melhor aproveitado através da leitura, que dá uma boa mão ao adulto tanto em conversas de bar quando na entrada numa faculdade.

Isto dá certo: o projeto Embarque na Leitura, iniciativa do Instituto Brasil Leitor, instala bibliotecas no metrô de São Paulo. Com isso, ele transforma o adulto estressado com a correria da cidade grande em um leitor que aproveita o seu tempo gasto no transporte.

Fonte: http://educarparacrescer.abril.com.br/index.shtml