Em destaque

O site internacional já está no ar!

  Prezados autores e usuários da Bookess, Informamos que o site da Bookess passou por algumas mudanças e agora, além da versão em Português, possui versões também em Espanhol (Argentinha/Peru) e Inglês. Com esta novidade algumas informações se fazem necessárias: – A moeda padrão...

Leia mais

Conheça “Crônicas de Domária”, de L. C. Lopes

Por bookess | Postado em Entrevistas | em 25-04-2016

Tags:, , ,

0

Crônicas de Domária

Entrevistamos L. C. Lopes, o autor de “Crônicas de Domária”. Confira a entrevista abaixo e baixe gratuitamente um trecho do livro.

1. Quem é L C Lopes?
Sou carioca, 31 anos, aficionado por literatura de ficção, RPG e video-games. Desde jovem me interesso por criar histórias e mundos paralelos que utilizava para jogar com meus amigos, e toda inspiração vinha de grandes filmes e jogos que marcaram minha geração. Também sou fotógrafo de paisagens (o que ajuda bastante na criação dos cenários) e nas horas vagas me distraio também desenhando.

2. Quando foi que você decidiu escrever o livro? Como isso começou?
Decidi escrever a partir de uma inspiração que tive para jogar a minha última campanha de RPG com alguns amigos. Como eu já ia criar os cenários, resolvi elaborar um pouco mais e transformar numa crônica. Nas primeiras páginas a imaginação fluiu e eu gostei muito do resultado, me comprometendo a escrever todo dia um pouco. Depois de alguns meses eu já tinha um livro inteiro nas mãos.

3. Você tem algum hábito “de escritor”?
Além de escrever sempre um pouquinho, frequentemente, uma coisa que me ajuda muito é me concentrar e ficar sozinho ouvindo músicas épicas enquanto escrevo, para ficar mais imerso em Domária. Depois disso, as horas passam e você nem sente!

4. Como você se mantém inspirado para escrever?
Eu gosto muito de filmes, séries, jogos e outros livros que tenham similaridade com os assuntos que eu curto. Então, quando as pessoas acham que estou apenas fazendo algo divertido e inocente, na verdade estou me inspirando para escrever. Qualquer coisa vale: desde uma cena de uma série até um artefato ou um personagem específico.

5. Qual a sensação de publicar seu livro?
Uma das melhores sensações que já tive até hoje. Sou uma pessoa que gosta muito de criar e fico muito realizado quando faço algo relevante e útil. Quando terminei o livro senti uma alegria muito intensa. Queria contar para todo mundo! Quando recebi meu primeiro livro em papel nas mãos foi uma sensação indescritível.

6. Por que você decidiu publicar na Bookess?
Eu quis optar pela autopublicação já que estava apenas começando. Pesquisei algumas opções aqui no Brasil e achei que a Bookess oferecia um ótimo custo-benefício com um site amigável e um processo bastante simples. Achei fundamental o oferecimento do livro em papel, já que muitos amigos ainda preferem o livro físico do que o virtual.

7. Deseja deixar alguma mensagem para os leitores e futuros escritores?
Sim, claro! Para os leitores: o primeiro livro do Crônicas de Domária é perfeito para quem procura uma trama misteriosa, cercada de conspirações e reviravoltas. Os personagens tem personalidades bastante fortes e marcantes, e a ação também não fica em segundo plano. Quem gosta de literaturas famosas como Harry Potter e Senhor dos Anéis vai gostar bastante. Para os futuros escritores: acreditem e nunca desistam. Eu jamais pensei que eu poderia escrever um livro, mas a minha vontade me levou a isso. Durante o trajeto, vocês vão encontrar dificuldades, mas assim como para os heróis, elas são passageiras.

8. Além de escritor, você tem alguma outra profissão? E hobbies?
Eu também sou analista de sistemas e fotógrafo profissional de paisagens e viagens. A segunda ainda não é uma profissão que eu possa contar para pagar minhas contas, mas estou melhorando. Nas horas vagas gosto de jogar video-game, desenhar e viajar para conhecer novos lugares, povos e culturas.

9. Para escrever: computador ou caneta?
Computador. Para pequenas coisas e inspirações momentâneas eu prefiro a caneta, mas não há nada como o conforto da formatação automática, corrigir os erros, substituir frases de forma quase automática. Para grandes textos, prefiro a comodidade do meu PC.

10. Livro físico ou eBook?
Agora você me pegou! Eu ainda gosto e tenho muitos livros físicos, principalmente aqueles que são meus favoritos. Porém, estou cada vez mais lendo eBooks pela praticidade e até mesmo falta de espaço! Acho que dá um empate técnico aqui.

11. Escrever é…
Brincar de Deus. Quando estou escrevendo, sinto que tenho todo o controle sobre o que posso criar, fazer, expressar. Às vezes, quando paro no meio de um texto, fico imaginando se eu tomasse uma direção completamente diferente para um pequeno fato. A história toda poderia mudar! Isso é bem surpreendente e genial. Acho que quando estou nesse estado criativo, é o mais próximo que posso ficar de estar em plenitude, fazendo o que sei fazer de melhor.

12. Para finalizar, conte um pouco sobre seu livro
Esse livro é o primeiro de uma intrigante série onde um despertar está acontecendo no mundo de Domária. A magia sempre foi utilizada pelos antigos, mas depois de grandes problemas ela foi proibida e represada por séculos. Um jovem ladrão, que deseja mudar de vida junto com a sua irmã, serve de estopim para um dos acontecimentos AP que vão mudar o mundo.
A história prima sempre pelo equilíbrio de forças. Nada existiria se não fosse o seu oposto. A coragem e o medo, a escuridão e a luz, a verdade e a enganação. No fim das contas, tudo se equilibra. Até quando há o excesso de algo que parece ser bom, isso não o é. Vamos mostrar isso ao longo do(s) livro(os) com o caráter dos personagens, eventos e acontecimentos.

 

Leia um trecho gratuitamente de Crônicas de Domária ou adquira seu exemplar.