Em destaque

Abaixo as traças e cupins!

Se uma construção de cimento e tijolos é capaz de perder a vitalidade com o passar dos anos, imagine os livros. As obras mais antigas, e por isso mesmo raras, até pouco tempo no Brasil eram guardadas a sete chaves – o contato humano poderia destruir o pouco que restou do livro. Mas essa realidade...

Leia mais

Cresce a pirataria de e-books

Por bookess | Postado em Novidades | em 17-11-2010

Tags:, , , , , ,

444

A pirataria de e-books está crescendo rapidamente, à medida que aumenta a popularidade de e-books e e-readers, segundo um estudo divulgado na quarta-feira (6).

Segundo a medição da empresa de softwares antipirataria Attributor, a procura por livros pirateados diariamente pode ser estimada acima de 3 milhões de pessoas no mundo.

Já o interesse pelos sites de compartilhamento aumentaram 50% no decorrer do último ano. Há uma migração, segundo o relatório, de sites grandes como o RapidShare para sites pequenos e de nicho.

O livro mais pirateado no mês passado, diz o estudo, é da escritora Stephanie Meyer.

Países que mais procuram livros eletrônicos pirateados são Estados Unidos (11%), Índia (11%) e México (5%). Desde o lançamento do iPad, diz o estudo, a procura aumentou em 20%.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/tec/811263-cresce-a-pirataria-de-e-books-indica-estudo.shtml

Nook Color – Novo e-reader de Tela Colorida

Por bookess | Postado em Novidades | em 05-11-2010

Tags:, , , , , , , , , , , , , , ,

715

Pode parecer um pouco estranho e inusitado para um eletrônico que se propõe a ser um e-reader, mas o NookColor, novo leitor de livros digitais da livraria americana Barnes & Noble, tem tela colorida e não o tradicional e-ink. O uso dessa tecnologia causou alguma polêmica na última terça-feira (26) dia do anúncio.

Além de possuir tela colorida, o NookColor também é sensível ao toque e possui uma série de novas funções. Ainda assim, a palavra “paradoxo” consegue definir bem este novo gadget. Ele funciona com Android, mas não tem acesso aos aplicativos do Marketplace; tem tela colorida e brilhante, mas é um e-reader.

Outro ponto negativo que pesa muito na escolha de um novo leitor de livros digitais é a autonomia da bateria. Na versão anterior, o usuário poderia passar até 10 dias sem precisar carregar o e-reader. No NookColor a duração não passa de 8 horas de leitura contínua.

Fonte: http://www.melhornotebook.org/2010/10/28/nook-color-novo-e-reader-de-tela-colorida/

A privacidade nos e-Readers

Por bookess | Postado em Dicas | em 15-09-2010

Tags:, , , , , , , , , , ,

535

Quais são os seus critérios de decisão ao comprar um novo gadget? Marca? Design? Sistema operacional? Hype? Ou a maneira como eles tratam os seus dados?

Se esse não é o seu foco, a http://www.eff.org/, Eletronic Frontier Foundation  se preocupa com isso. E prepara um guia para orientar o consumidor a decidir pelo aparelho mais seguro – ou, pelo menos, saber o que acontece com seus dados toda vez que você baixa ou compra algo através dele.

A EFF atualizou seu guia sobre e-readers. E as análises são bem interessantes.

A primeira pergunta é: o aparelho pode guardar rastros das buscas por livros? Kindle e Nook guardam. Se você usa o Google Books, pior: ele guarda o endereço IP e associa a busca à conta de usuário do Google, se estiver logado. O iPad não guarda, só se o livro for comprado na iBookstore e em qualquer outra aplicação da Apple. O FBReader, leitor opensource, o Sony Reader e o Internet Archive não armazenam nada.

Quatro dos serviços analisados também podem rastrear e guardar os dados sobre compras de livros: Google Books, Kindle, o Nook e o Sony Reader. O iPad também pode, no caso das compras na iBook store.

E com quem essa informação pode ser compartilhada? No caso do Google Books, Kindle, Nook e Sony, os dados podem ser usados para fins legais e com os seus próprios produtos – do Google, Amazon, Barners & Noble e Sony, respectivamente. No caso do iPad, além desses casos, a informação pode ser compartilhada com parceiros estratégicos da Apple. O FBReader e o Internet Archive não coletam dados.

A pergunta mais importante é se os dados coletados podem ser compartilhados sem o consentimento do usuário. E, no caso do Kindle, Nook, Sony Reader e iPad, a resposta é sim. O usuário deve optar por não revelar suas informações para fins promocionais ou marketing. O Google Books faz pergunta inversa: o usuário deve optar se quer ceder suas informações, ou não.

Eles podem monitorar o que você está lendo e ligar isso de volta à você? A resposta é sim, para o Google Books e para o Kindle. E não para os demais (os termos de uso do iPad, por exemplo, diz que toda a informação coletada não é identificável).

Outra: o aparelho é compatível apenas com os livros adquiridos na eBook store associada? Apenas o Kindle tem essa restrição: lê apenas arquivos com uma determinada extensão proprietária. Os demais suportam outros formatos, como PDF.

Fonte: http://blogs.estadao.com.br/link/a-privacidade-nos-e-readers/