• Autor(es): Adroaldo Bauer
  • Visualizações: 3033
  • Revisão 1
  • Publicado: 24/06/2010
  • Atualizado: 18/02/2014
  • Situação: Completo
  • Páginas: 146
  • Categoria: Novela
  • Licença: Copyright
  •   2 consideram favorito
  •   1 Já leram
  •   0 estão lendo
  •   1 estão relendo
  •   2 Pretendem ler
  •   2 possuem um
  •   0 desejam ganhar

O Dia do Descanso de Deus

Compartilhar

Sinopse

“ UMA TRAGÉDIA GAÚCHA - Luiz Pilla Vares
Pois a novela que agora se edita tem todos os ingredientes capazes de tornar a leitura agradável e prender o leitor até o fim. O cenário é o Rio Grande do Sul, num vai e vem entre o interior do Estado e Porto Alegre. O tempo, de certa forma indefinido, são os anos de chumbo, que nunca são referidos diretamente, mas que pairam como nuvens cinzentas sobre todo o transcorrer da novela. As personagens são familiares para quem vive no Rio Grande do Sul, mas que nunca caem na caricatura meramente regional. Todas são problemáticas e universais, desde Romão, a principal, que passa grande parte da obra como uma sombra a decidir o destino dos demais participantes, até Domício, o filho enlouquecido do latifundiário, a quem cabe ser o detonador do conteúdo trágico desta novela.
http://www.recantodasletras.com.br/artigos/535829

O mais encantador, porém, no enxuto texto de Adroaldo Bauer, é que não se trata de uma novela linear, com uma temporalidade exata. A história tem idas e vindas, sem que se transforme em um quebra-cabeças que muitas vezes se torna, na literatura moderna, uma chatice. Nada disso. A ausência de temporalidade linear contribui para o leitor se apoderar da personalidade e dos dramas de cada uma das personagens e chegar progressivamente ao caminho que conduzirá a um desfecho ao mesmo tempo trágico e reconciliador entre o pai Romão e a filha Laurita. E nessas idas e vindas da temporalidade, a memória não está em segundo plano.

Últimos comentários (registre-se para comentar)

disse
Nenhum comentário cadastrado.
7 no totalComentários anteriores  

mostrar todasÚltima Resenha

Leia também as Impressões de Leitura de Ize Oswald

http://www.overmundo.com.br/overblog/impressoes-de-leitura

... Se Deus descansa, por que eu, pobre mortal, não poderia também descansar? Mal sabia eu que à preguiça divina sobrevém a insídia pérfida do diabo. Eu aqui de livro nas mãos deliciando-me com a novela - deixando de lado a rotina escravizante do dia-a-dia ? enquanto as criaturas da novela se lascavam num redemoinho de tragédia. Seria isso justo?

Tanto não seria, que o descanso tão esperado não me foi dado ...

Magistralmente fabricada, a trama não me concedeu nenhum sossego: a ausência de temporalidade linear exigiu de mim atenção e esperteza; o suspense me deixou tensa; o envolvimento com os dramas das personagens me tirou o fôlego.

Adroaldo você não me deu nenhum descanso e, ainda assim, não me resta outra coisa senão lhe agradecer de coração. Seu livro me devolveu o que Ítalo Calvino considera como faculdade humana fundamental: a capacidade de fazer brotar - do alinhamento de caracteres alfabéticos negros deitados sobre o papel - a sensibilidade e a imaginação, ingredientes sem os quais a vida não passa de uma página em branco.
Adroaldo Bauer Spíndola Corrêa Adroaldo Bauer Spíndola Corrêa
em 12/06/2012 às 17:10h

 

  O autor disponibilizou uma prévia gratuita do livro, que vai da página 1 à 146.

escrito por
Sinopse

...

 Versão Mobile
ou  
Veja mais em